AGRO-INDÚSTRIA​

Óleo de Palma

A palma africana é o cultivo com maior rendimento por hectare por ano. Isto explica porque é que o sector da palma cresce de maneira importante no mundo inteiro, no âmbito de fornecer a indústria alimentaria.

O sector está atualmente pressionado para garantir uma maior sustentabilidade nos seus processos produtivos. BIOTEC inscreve-se nesta lógica, trazendo soluções pertinentes e personalizadas a nível ambiental, agrícola, energético e social.

As extratoras de óleo de palma geram subprodutos sólidos e efluentes POME (Palm Oil Mill Effluents) com cargas orgânicas grandes, similares às geradas por cidades densamente populadas, as quais constituem um risco importante de contaminação ambiental.

Por outro lado, estes subprodutos contêm um valor fertilizante e um potencial energético importante. A biodigestão dos POME nos biodigestores de modelo RAC de BIOTEC, pode gerar 50 kW por tonelada de frutas.

  • Biodigestion + fertilisation liquide.
  • Bio-évapo-séchage pour produire un biofertilisant en poudre.
  • Co compostage avec EFB (tas de 4 mètres de hauteur / retournement latéral / pas d’exigence de toit).

Líder mundial no tratamento de efluentes e subprodutos das extratoras de óleo de palma desde 1988:

2do biodigestor de efluente de palma no mundo (Palmeras del Llano, Colombia, 1988)

1ro sistema de ferti-irrigação de efluente de palma por micro-aspersão (Palmar Santa Elena, Colombia 1992)

1ro biodigestor de tipo laguna coberta para efluente de palma
(Palmeiras, Colombia, 1999)

1ro Projeto CDM (Gold StandarD) com efluente de palma no mundo
(Eecopalsa, Honduras, 2007)

1ro sistema de ferti-irrigação de efluente de palma por macro-goteiros com monitoração remota (Exportadora del Atlántico, Honduras, 2010)

1ro biodigestor combinado de tratamento de POME com efluente de Biodiesel (AMSA, Colombia, 2014)

BIOTEC met également en œuvre la technologie SSP de séchage par évapo-séchage POME pour produire des aliments pour animaux lorsque suffisamment de vapeur est disponible dans l’industrie.

Cana de Açúcar​

A cana é a fonte mais importante de açúcar do mundo e, juntamente com o milho e o bioetanol, a par do milho.

Enquanto a produção de cana se aproxima de 50 toneladas de matéria seca por hectare por ano, a produção de açúcar e bioetanol é responsável por 15 toneladas. A diferença entre esses dois números são os subprodutos (folhas, brotos, bagaço, lodo, águas residuais e vinassa), onde os nutrientes são exportados, é uma biomassa atraente usada como fonte de vapor e eletricidade e, em alguns casos, como matéria-prima para papel. A lama de açúcar (torta de filtro) e o vinagre representam a maior quantidade de nutrientes. O bom gerenciamento desses subprodutos é uma oportunidade para o agronegócio obter valor agregado ao seu negócio principal e garantir sustentabilidade a longo prazo. A lama de açúcar, crua ou compostada, geralmente é espalhada na colheita. O vinagre representa um desafio ambiental (poluição) e agrícola (concentração de potássio + salinização).

A BIOTEC traz conhecimento e experiência no manuseio de lama de açúcar, efluentes e vinassas, como:

  • Compostagem de lama de açúcar.
  • Compostagem de vinassa e sugarmud.
  • Biodigestão de lama de açúcar.
  • Biodigestão de vinasses.
  • Co-digestão de vinasses + sugarmud.
  • Bio-evapo-secagem de vinasses (até pó).
  • Vinasses + sugarmud bio-evapo-secagem (até pó).

Produtos e serviços em cana de açúcar

Por fim, a BIOTEC promove a fertilização orgânica das plantações de cana-de-açúcar com: torta de lama filtrada, composto, purga de lodo de biodigestores e vinagre tratado. Para a indústria da cana, essas tecnologias representam oportunidades adicionais de negócios. Este conjunto de soluções garante uma gestão empresarial sustentável.

Objetivos:

  • Fresagem com Descarga Zero (ZDM).
  • Produção de gás natural renovável (RNG).
  • Produção de biofertilizante em pó para fertilização de cana ou melhor, para venda a empresas de fertilizantes (para evitar a concentração de potássio nas terras próximas).

Citricos

Atualmente, os consumidores preocupam-se cada vez mais à cerca do que consomem e são conscientes da importância de ter um estilo de vida saudável, que respeite o meio ambiente. Neste contexto, a tendência global indica a um aumento significativo no consumo de frutas e seus derivados, como os sucos de cítricos e de outras frutas. O aumento da produção, para satisfazer esta demanda aumenta, por outro lado, a geração de subprodutos sólidos (cascas e polpa), como também líquidos (efluentes), usualmente considerados como resíduos como as águas residuais. Pela experiência de BIOTEC, estes convertem-se em matéria prima para a geração de energia (renovável) e fertilizante orgânico.

BIOTEC propõe suas tecnologias de gestão integrada de resíduos e efluentes que foram gerados durante o processo de extração do suco e óleos essenciais do limão, mandarina, lima e laranja.

Até os efluentes ácidos do processo do limão permitem gerar biogás que possa solucionar a demanda energética térmica dessa mesma agroindústria, substituindo combustíveis fosseis, e ainda regar e fertilizar as plantações da mesma.

A partir de 2016 BIOTEC é a aplicação de seus conceitos com outras frutas, incluindo abacaxi.

Com a experiência da BIOTEC, esses subprodutos (geralmente considerados resíduos) são convertidos em matérias-primas para energia renovável e fertilização.

Pioneiros em efluentes de citrinos

1ro – Digestor em grande escala no mundo para tratamento anaeróbio en efluentes de limão.

  • Citrusvil, Argentina, 2009: 11.000 m3 de efluentes / diaz 11.000 ppm COD.
  • Geração de biogás caldeira 6 e 10 toneladas de vapor por hora + fertirrigação 600 ha.
  • Com casca, cascas e sementes de limão. Engenharia do projeto.

Ambos os efluentes ácidos do processo do limão permitem a geração de biogás para atender a demanda de energia térmica dessa agroindústria, em substituição aos combustíveis fósseis, além de permitir a irrigação e fertilização de seus plantios.

Nosso escopo:​

Outros Setores

BIOTEC oferece soluções personalizadas para outros tipos de efluentes e resíduos orgânicos.

A BIOTEC possui um longo histórico de usinas de biogás UASB para esses efluentes, com reatores de concreto ou metálicos (soldados ou parafusados). Em todos os casos, o objetivo principal permanece o mesmo: DESCARGA ZERO, com valorização de efluentes e subprodutos através de ração animal, biofertilizante líquido ou sólido e biogás.

Entre Outros Setores:​

AGRO-ENERGIA​

Fazendas de Biogás​

O propósito histórico de BIOTEC foi de converter a matéria orgânica dos subprodutos agroindustriais em matérias primas, fertilizantes e energia (biogás), adaptação aos trópicos a experiência europeia na biodigestão de grama e silagem de milho. Contudo, o mundo necessita energia adicional à que os subprodutos e efluentes podem produzir. Com muitas regiões do mundo que não dispõem de eletricidade, ou que só podem contar com plantas elétricas baseadas em diesel, ou que estão em zonas tropicais húmidas com grande disponibilidade de terras e poucas oportunidades de mercado para aproveitá-las. Por esta razão, BIOTEC decidiu enfocar os seus esforços de P&D na produção de energia (biogás) a partir dos cultivos de pastos e forragens tropicais (cultivos “energéticos” para os trópicos e “Cone Sul” da América Latina).

A geração de biogás a partir de biomassa, para o seu uso posterior em plantas elétricas, diferencia-se da combustão de biomassa em caldeiras para gerar vapor e posteriormente de eletricidade com turbinas de vapor. Esta segunda opção, relativamente comum no mundo, aproveita o ciclo Rankin e é limitado pelas próximas restrições:

1. Queima da matéria orgânica e desperdiça os nutrientes. Implica necessidades grandes de fertilização química dos cultivos.

2. Requere potencias grandes (>40 MW) para contar com um rendimento elétrico aceitável e rentabilidade mínima.

Em comparação com usinas diesel ou fornecimento de GPL, a geração de biogás com pastos e forragens pode fazer-se de forma rentável a escala media (500 kW a 5 MW), e ao reintegrar a totalidade da matéria orgânica fermentada no solo, enriquecendo-o eficazmente, permite conseguir os maiores rendimentos, substituindo assim a fertilização química.

A geração de biogás e eletricidade com forragens não é um concepto novo: é a fonte energética duma grande parte do gás produzido hoje em dia em Europa em fazendas, onde os agricultores inicialmente adicionado algum silagem de milho e silagem de capim para seu estrume, atualmente eles processadas muito mais silagens que os estrumes.

BIOTEC pôs toda sua capacidade em P&D para adequar este concepto ao tropico e, com o apoio de seu sócio tecnológico alemão, lançado no mercado em 2016 os chamadas “fazendas de biogás”, permitindo gerar gás e electricidade renovável.

Este conceito permite:

  • Alcançar a electrificação rural em regiões remotas, com base em energia renovável.

Biogás a partir de cultivos energéticos

Nosso alcance:

  • Gerar a preços competitivos: Os custos de produção de gás e electricidade são já mais baixo do que o diesel equivalente e GLP.
  • Produção de gás e de electricidade para uso doméstico, com a mesma unidade de produção.
  • Geração de emprego no sector agrícola local, digna e sustentável, fonte de desenvolvimento regional sustentável.
  • Esta solução energética e agrícola permite em consequência um desenvolvimento social nas zonas rurais mais remotas do trópico.

Acessos: 7